d

A CHEGADA DA FAMÍLIA DIENSTMANN NO BRASIL

No ano de 1827 chegam à São Leopoldo, estado do Rio Grande do Sul, 1019 imigrantes em sete levas distintas. Na última, e maior, vieram 559 pessoas – 105 famílias e 58 indivíduos solteiros.

A família cruzou o Atlântico provavelmente no veleiro holandês “Epaminondas”. Ele zarpou de Amsterdam no dia 7 de julho de 1827 e chegou ao Rio de Janeiro até o dia 28 de setembro de 1827. Os imigrantes ficaram abrigados no pontal Armação (Niterói/RJ) até 12 de novembro.
Os primeiros imigrantes da família Dienstmann viajaram do Rio de Janeiro a Porto Alegre no bergantim Conceição Imperador, conforme a relação de passageiros de número 159/1827 (Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul). Das 53 famílias e 17 indivíduos, que constam deste documento, a de número 42 é a de Johann Jacob Dienstmann. O imigrante chegou em São Leopoldo acompanhado da sua esposa, Maria Eva Meyer, e dos filhos Johann Mathias e Johann Jacob em 16 de dezembro de 1827. Na relação de imigrantes do Dr. Daniel Hillebrand, eles receberam os números 523, 524, 525 e 526.
Conforme o Livro de Tombo de São Leopoldo – códice 319 – do Arquivo Público do Rio Grande do Sul, Johann Jacob Dienstmann recebeu do governo Imperial do Brasil o lote 39 do lado direito da Picada dos Dois Irmãos (atual Avenida São Miguel), medindo 159.479 braças quadradas.
Por meio das pesquisas realizadas no Arquivo da Igreja Evangélica da Renânia, em Boppard, Alemanha, foram encontrados registros eclesiásticos da família Dienstmann na Comunidade de Bacharach desde 1615.

CIDADE DE ORIGEM A ORIGEM DO SOBRENOME

Você é descendente da Família Dienstmann? Faça parte da nossa árvore genealógica!

OS IMIGRANTES

Os alemães Johann Jacob Dienstmann e Maria Eva Mayer, juntamente com seus filhos, foram os primeiros imigrantes da família Dienstmann.

Johann Jacob Dienstmann nasceu em 26 de dezembro de 1778, na localidade de Medenscheid, cidade de Bacharach, às margens do Rio Reno. Após ficar viúvo aos 44 anos, casou-se com Maria Eva Meyer que nasceu em 14 de março de 1792, na localidade de Mohrsbach, Rheinbollen, Alter Simmern. O casal teve três filhos, todos nascidos em Medenschein, Alemanha: Johann Mathias (24/01/1820), Catharina Elisabeht (19/01/1823) e Johann Jacob (15/07/1825). No Brasil, nasceram mais três filhos: Maria Eva (19/05/1829), Catharine (25/12/1832) e Gottlieb Julius (28/10/1834).
A família provavelmente cruzou o Atlântico no veleiro holandês “Epaminondas”, que zarpou de Amsterdam no dia 7 de julho de 1827. Há evidências de que a filha Catharina Elisabeth tenha falecido durante a travessia.

GENEALOGIA

CONHEÇA A HISTÓRIA

Saiba mais sobre o que levou os imigrantes a virem para o Brasil, a história da Alemanha pré e pós guerra e a contribuição alemã – contribuição Teuta, para a formação da nação brasileira.

RAZÕES PARA EMIGRAÇÃO

Entenda os fatos que levaram os descendentes de língua alemã a emigrarem para diversos países no início do século 19, abordando o contexto político, econômico e social da Europa e da Alemanha, em particular.

+ Veja Mais
HISTÓRIA DA ALEMANHA

Conheça um pouco mais sobre as linhas básicas da história da Alemanha até 1945, e a orientação depois de 1945 até hoje.

+ Veja Mais
O BRASIL E A IMIGRAÇÃO

Veja o que motivou o Brasil a incentivar a imigração alemã e os fatos que levaram os imigrantes abandonarem seu país.

+ Veja Mais
CONTRIBUIÇÃO TEUTA

A tradução do artigo de Dieter Böhnke conta sobre contribuição alemã (contribuição teuta) para a formação da nação brasileira.

+ Veja Mais

A FAMÍLIA DIENSTMANN NOS DIAS DE HOJE

Desde 1991, o descendente Adriano Arthur Dienstmann tem coletato novas informações para contar um pouco mais sobre a História dos Dienstmann no Brasil, desde sua origem até os dias de hoje. Durante este período, outros descendentes se engajaram nesta pesquisa e estão contribuindo para manter viva esta história. Confira o que eles estão fazendo: